quinta-feira, 23 de junho de 2011

Glutões e Anorexos

Como nós cristãos devemos nos relacionar com a cultura? Devemos absorver tudo sem nenhum critério, já que tudo é diversão? Ou devemos rejeitar toda cultura, menos a produzida por cristãos? Existem aqueles cristãos que absorvem todos os tipos de produção cultural, desde músicas, filmes, novelas... E por considerarem esses entretenimentos apenas como diversão, aceitam tudo sem nenhuma espécie de crítica, afirmando: “Eu só quero me divertir! Você não deveria levar isso tão a sério! É apenas uma música!” Podemos chamar este tipo de cristão de “glutão cultural”.Entretanto, há “a manifestação dois reinos antagônicos, um fundado no amor de Deus e no amor a si mesmo e ao próximo, e outro fundado no poder de Satanás, na idolatria e no egoísmo humano.” Como cristãos, não podemos desprezar esta antítese e sermos coniventes com toda e qualquer produção cultural que desrespeite os princípios do Reino de Deus. Pois como nos é dito em 2 Coríntios 6:14 “Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos; porquanto que sociedade pode haver entre a justiça e a iniqüidade? Ou que comunhão, da luz com as trevas?”Por outro lado, alguns cristão rejeitam absolutamente qualquer produção cultural feita por não-cristãos. E afirmam: “Devemos ser separados! Tudo que o ímpio produz é pecaminoso! Escutar música secular é perda de tempo!” Esses podemos denominar de “anorexos culturais”.O problema dessa atitude é esquecer-se da maravilhosa doutrina da Graça Comum. A doutrina afirma, em linhas gerais, que Deus na sua misericórdia, por meio do Espírito Santo, concede favor aos ímpios para que eles possam produzir coisas boas, já que o Sol nasce tanto para bons, quanto para maus (Mt 5.45). Como afirmou Calvino “Se reputarmos ser o Espírito de Deus a fonte única da verdade, a própria verdade, onde quer que ela apareça, não a rejeitaremos, nem a desprezaremos, a menos que queiramos ser insultuosos para com o Espírito de Deus. Ora, nem se menosprezam os dons do Espírito sem desprezar-se e afrontar-se ao próprio Espírito.” (Inst., II, 15). Além do mais, os anorexos culturais correm o risco de ser tornarem alienados em relação aos outros e ao contexto que vive, e muitas vezes aceitar de forma acrítica várias heresias com o “rótulo” de cristãs.
Portanto, não devemos ser nem glutões, nem anorexos culturais, mas adotar uma posição equilibrada pautada nos princípios da Palavra de Deus, ou seja “...tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento.” (Fp. 4.8)



Leonardo M. Verona

Fonte: Cinema e Fé Cristã, Brian Godawa, Ultimato

Nenhum comentário:

Postar um comentário