segunda-feira, 8 de agosto de 2016

POKÉMON ou Lá vamos nós!!!

(por Rev. Fillipe Mendes - Pastor IPB/IPE membro do GECC)
Gente boa, Pokémon voltou e já virou febre. Algumas reações também voltaram por parte de cristãos, e corremos o risco, de maneira imatura como igreja, de coarmos o mosquito e engolirmos o camelo. Explico (vá até o fim do texto comigo):

Toda mitologia é carregada de uma narrativa própria, e aponta para uma construção de "sentido", que só faz sentido dentro daquela atmosfera criada. A cultura pop está recheada de elementos desse tipo. Mitologias grega, celta, egípcia, judaica, entre tantas, acabam compondo as narrativas de filmes, desenhos, séries, animes e games. Essa é uma realidade. Algumas narrativas ficcionais nas telonas, por exemplo, são bem famosas, e criam todo um mundo à parte: um Batman em Gotham, um Super-Man e sua criptonita, vampiros, zumbis, etc. 

Isso não é novo, afinal um João e o pé de feijão já nos falava de um mundo de gigantes. Chapeuzinho vermelho e seu lobo mau, que de tão mau perseguia até os três porquinhos engenhosos. Sem esquecer de a Bela e a Fera, ou da bruxa má de João e Maria, ou mesmo de Branca de Neve e sua trupe de anões. Até mesmo nossos jogos olímpicos não existiriam se Hércules não tivesse cumprido alguns trabalhos impossíveis, obedecendo a deusa Hera.

Com Pokémon não é diferente. Os monstrinhos de bolso, significado do termo Pokémon, fazem parte de uma lista enorme de seres criados, dentro de uma roupagem mitológica japonesa, e se tornaram famosos por um desenho lançado em 1995 por Satoshi Tajiri. Quando criança, Satoshi gostava de brincar de coletar insetos e os guardar. Daí sua ideia amadurecida desenvolveu um desenho, que agora virou um game mega interativo, em que Treinadores coletam os monstrinhos e os coleciona.

Cada Pokémon tem características específicas, e compõem um grupo enorme bichinhos (veja aqui http://pokemondb.net/etymology). Alguns são lagartos, como o Bulbassauro, Venassauro. Répteis com cara de "dinos", tipo o Charizard. Tem até um rato amarelo que grita, o Pikachu. Enfim, trata-se de um mundo ficcional desenvolvido como uma fantasia, e deve ser tratado como.

A ficção pode ser boa ou ruim, depende de como nos apropriamos dela. Sem dúvida alguma, fugir da capacidade humana de inventar e compor histórias imaginativas é quase impossível. Fazemos isso desde a infância, dando nome a ursinhos, bonecas e bonecos, almofadinhas queridas, ou mesmo transformando nosso quarto em florestas e castelos cheios de desafios e aventuras.

Creio que a reação que diz “isso é do demônio” e ponto final é muito simplista e perigosa.Simplista, porque seleciona entra tantas mitologias, antigas ou modernas, algumas que serão rechaçadas e demonizadas, não fazendo isso com todo o resto. Se vai evitar Pokémon, simplesmente nessa base, então evite também Branca de Neve e o feitiço da maçã. Perigosa, porque transforma a ação de Satanás em algo caricaturado e ensina as pessoas a evitar o mal apenas no rótulo da Maionese, da Coca, ou no desenho animado. Não digo que cristãos não devam tomar cuidado com o que veem, leem e ouvem; É PRECISO CAUTELA SIM. Entretanto, é preciso entendermos que as estratégias de Satanás (II Cor 2:11) são mais sutis que isso. Ele é o pai da mentira, não da ficção, e sua ardilosa maldade cega e endurece corações, distanciando-os da Vontade Eterna de Deus. Os deuses do nosso tempo são tantos: sexo, vaidade, intolerância, egoísmo, dinheiro, poder, etc.

Por um lado, não tenho dúvida que cuidados devam ser tomados com um jogo como Pokémon, embora esse cuidado deva ser aplicado a todos os outros tipos de entretenimento. O entretenimento sem discernimento é sim um deus do nosso século, e tem sido adorado por muitos. Não pelos elementos ficcionais ou mitológicos em si, necessariamente, mas, sobretudo, por deixar o tempo ir pelo ralo, em detrimento de uma vida de santidade e devoção a Deus (Ef 5:15-17). Apenas lembre-se: Internet, WhatsApp, Netflix, novela, filme, preguiça, tudo isso entretém e rouba tempo também. Tome cuidado com o vício do entretenimento, ele pode dominar toda sua vida; já tem dominado a de muitos. Isso inclui Pokémon Go, que pode ser um sedativo poderoso para desligar você da realidade. Seja cauteloso.

Por outro lado, entendo que essa onda pode talvez nos dar oportunidades interessantes. O Pokémon Go é um jogo interativo, que se joga fora de casa, e que inclui interação com outras pessoas: interação real, e não apenas virtual. O jogo usa o GPS do seu celular para colocar um Pokémon perto de você, para que você interaja virtualmente. Alguns locais são pontos de encontro para jogadores, que trocam informações, duelam ou saem em “caçadas juntos”. Nessa interação, talvez seja possível tornar a experiência algo proveitosa: pais podem brincar e interagir com seus filhos; uma boa conversa pode nascer de um encontro casual, com possibilidade de se comunicar o evangelho e fazer novas amizades. Pontos de encontro próximos a igrejas podem ser oportunos para um convite a ouvir a Palavra. Bem, em um mundo que tende ao isolamento, com pessoas trancadas em quartos, madruga a dentro, jogando e jogando; ou sentadas sozinhas em lugares lotados, interagindo apenas pelo WhatsApp, um Pokémon Go pode prover “uma sensação momentânea de união”, como disse Travin Max, embora LONGE da verdadeira koinonia que o evangelho nos dá.

Por fim, vale dizer que esse texto NÃO É UMA APOLOGIA ao Pokémon Go, nem um incentivo para que se jogue. Eu mesmo não tenho a menor paciência. Trata-se apenas de uma orientação para que possamos discernir o mal com sabedoria e maturidade. Cada crente deve medir e pesar aquilo que lhe é edificante, e deve fazê-lo com sabedoria (I Co 10:23).

Nossa real satisfação deve estar em Deus, e em sua verdade. Sua Palavra deve ser nosso alimento diário. Não distrações mil e inovações humanas sem fim. Então, se necessário for, EVITE. Se ocasionar qualquer coisa que o afaste de consagrar-se a Deus, NÃO JOGUE. Mas se este não é o caso, faça bom proveito, com entendimento.

domingo, 10 de julho de 2016

MINICURSO O CRISTÃO E A PARTICIPAÇÃO POLÍTICA

No sábado dia 09/07 realizamos o minicurso sobre política.
Agradecemos a participação de todos, em especial as canções tocadas pela Samanta e ao Dr. Humberto Falcão. Também ao Gil presidente do Conselho Municipal da Juventude de Belo Horizonte que participou da mesa redonda respondendo às perguntas.
Nossos agradecimento ainda à SEBE que tem aberto as portas para as reuniões da Associação desde os idos de 2014.
As palestras foram trasmitidas ao vivo e as perguntas dos internautas respondidas pelos palestrantes Leonardo Verona, André Storck, Humberto Falcão, Gil e Yuri Fernandes.
Os vídeos estão disponíveis na nossa pagina no Facebook - Cosmovisão Calvinista.
Toda glória a Deus.

segunda-feira, 13 de junho de 2016

ELEITA DIRETORIA E CF 2016

Em Assembleia Geral Ordinária realizada em 14/05/2016 foram reeleitos os atuais ocupantes dos cargos de Direção e Conselho Fiscal da Gestão 2015 para continuidade dos trabalhos na Gestão 2016, com exceção do associado Luciano Felício que será sucedido pelo associado Ocilson Daniel nos trabalhos da Tesouraria.

DIRETORIA EXECUTIVA
Presidente: Leonardo M. Verona
Vice-Presidente: Luiz Cláudio Simões de Lima
1º Secretário: Leni B.Rocha
2º Secretário: André M. Storck Nunes
Tesoureiro: Ocilson Daniel Xavier.

CONSELHO FISCAL
1º membro: Antônio Claret da Costa
2º membro: Yuri Fernandes
Suplente: Rodrigo de Souza Freitas.

Na mesma oportunidade a Assembleia aprovou o ingresso de 4 novos membros, a saber:
Gustavo Motta Quintão, Sabrina Coutrin da Silva Santos, Arlon Emerick de Carvalho e Italo Junio Braga Campos.

A Assembleia ainda ratificou as Resolunções nº 004 e 010/2016 da Diretoria Executiva que dispõem sobre prazo de recursos e controle de presenças, respectivamente.

As contas do ano de 2015 foram aprovadas, bem como o orçamento 2016 e o plano de trabalhos.

Quaisquer dúvidas, cópias de documentos e solicitações devem ser enviadas para o email: cosmovisaocalvinista@gmail.com

As resoluções são publicadas no site na aba ATOS OFICIAIS: 
http://www.cosmovisaocalvinista.com.br/p/atos-oficiais-associacao.html

SOLI DEO GLORIA

I RETIRO DE ESTUDOS GECC


1º RETIRO REFORMADO
GECC - MAIO/2016


















quinta-feira, 7 de abril de 2016

Convocação Assembleia Geral Ordinária

Caros associados,
Foi publicada hoje a convocação para a 2ª Assembleia Geral Ordinária do GECC.
Confiram o local, data e hora no ato no link abaixo.
 Entre os temas da pauta está a eleição dos cargos da Diretoria Executiva, não deixe de participar.

CLIQUE AQUI:  CONVOCAÇÃO ASSEMBLEIA GERAL ORDINARIA 2016

Atenciosamente,
a Secretaria Executiva

terça-feira, 5 de abril de 2016

1ª RETIRO DE ESTUDOS GECC - ESGOTAMENTO ESPIRITUAL

Olá, amigos!


Nos dias 22 e 23 de abril, realizaremos nosso primeiro retiro de estudos com o tema Esgotamento espiritual. O esgotamento espiritual está associado a um dos problemas mais comuns do cristianismo contemporâneo: o "cansaço de igreja". Muita gente sofre não apenas com dúvidas, mas com sentimentos de aversão em relação a estruturas eclesiásticas, práticas litúrgicas e até mesmo à vida comunitária (L´Abri).

LINK para formulário de inscrição: Formulário de inscrição CLIQUE AQUI

VALOR DA INSCRIÇÃO:

R$ 80,00 - Inscrição completa (sexta e sábado)
R$ 60,00 - Inscrição completa (sexta e sábado sem dormir no local)

R$ 40,00 - Inscrição parcial (só para sexta-feira 18h às 22h)
R$ 60,00 - Inscrição parcial (só para o sábado 09h30 às 19h)


PAGAMENTO: apenas depósito bancário.

Favorecido: LEONARDO VERONA



Banco Itaú

Agência: 3351 

Conta Corrente: 04598-8

OU

Banco do Brasil
Agência: 1967-4
Conta Corrente: 49099-7

Em seguida, envie-nos um e-mail contendo o comprovante de pagamento (escaneado ou fotografado e legível).

E-MAIL PARA ENVIO DO COMPROVANTE: cosmovisaocalvinista@gmail.com

ATENÇÃO: Sua vaga só será garantida após a comprovação do pagamento.

DATA FINAL PARA INSCRIÇÕES
Para associados: até dia 10/04/2016.
Para visitantes: até dia 17/04/2016.

LOCAL E MAPA: o retiro será realizado no Condomínio Village, em Juatuba/MG, a 30 minutos de carro de contagem. Segue o link com o trajeto entre o Carrefour Contagem e o local do evento: https://goo.gl/maps/479N45PRvAz

DATAS: O retiro terá início às 18 horas do dia 22 de abril e terminará às 19 horas do dia 23 de abril.

Enviaremos por e-mail aos inscritos a programação, a localização do sítio e as instruções gerais.

VAGAS LIMITADAS! 

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Reflexão para um tempo de corrupção


   Em momentos difíceis de nossas vidas, seja no âmbito particular, seja no social, enquanto vemos de um lado a maldade e a corrupção prosperarem e, de outro, os justos sofrerem, devemos confiar e colocar nosso olhos no Altíssimo, conforme nos ensina JOÃO CALVINO na passagem abaixo:


   "Ora, o Senhor não somente permite que os seus servos sejam atormentados pelos ímpios, mas também muitas vezes deixa que eles sejam dissipados e destruídos pelos maus. Deixa que os retos desfaleçam nas trevas e no infortúnio, enquanto os ímpios brilham como as estrelas do firmamento [...] Por isso Davi mesmo não esconde o fato de que, se tivermos os olhos postos no presente estado deste mundo, sofreremos com isso forte tentação de deixar-nos vacilar; como se não recebêssemos nenhuma recompensa por nossa integridade. A esse ponto a impiedade prospera e floresce, ao passo que os justos são oprimidos pela ignomínia, pela pobreza, pelo desprezo e outras espécies de calamidade. "Quase me resvalaram os pés"_diz o salmista; "pouco faltou pra que se desviassem os meus passos, pois eu invejava os arrogantes, ao ver a prosperidade dos perversos". Depois de fazer uma descrição disso, o salmista conclui: "Em só refletir para compreender isso, achei mui pesada tarefa para mim; até que entrei no santuário de Deus e atinei para o fim deles." (Sl. 73).

   Aprendamos, pois, dessa confissão do Salmista que os santos pais sob o Antigo Testamento não ignoravam quão poucas vezes Deus cumpriu, ou plenamente jamais cumpriu, neste mundo presente, as coisas que ele promete aos seus servos. E que por essa causa elevam estes o seu coração ao santuário de Deus, onde encontravam o que lá estava reservado e que não lhes era manifesto nesta vida corruptível. Esse santuário é o juízo final que esperamos, o qual eles se contentavam em entender pela fé, embora não o vissem com os olhos.

    Munidos dessa confiança, fosse o que fosse, que lhes adviesse neste mundo, eles não duvidavam que chegaria o dia em que as promessas de Deus seriam cumpridas [...] Por isso, tendo os olhos postos na eternidade e desprezando o amargor das calamidades presentes que eles viam serem transitórias, glorificavam-se confiantemente nestas palavras: "Jamais permitirás, ó Senhor, que o justo pereça eternamente, mas afundarás o ímpio no abismo da destruição." Sl. 55.

(João Calvino_ As Institutas da Religião Cristã vol. 3 Cap. VII, 15. Editora CEP, São Paulo, 1ª ed. 2006)