quinta-feira, 22 de março de 2012

Canções para o mundo

por Leonardo M. Verona


Não é raro escutarmos por aí o seguinte discurso de líderes evangélicos: "o músico cristão deve apenas cantar música gospel!" E eu pergunto, será?
Imagine se você fosse pastor ou líder de uma igreja ou ministério e um grupo de adolescentes da igreja formassem uma banda. Aí um deles chega para você e diz: "montamos uma banda, e queremos compor e fazer canções para o o mundo, e gostaríamos de um conselho seu." E aí, como você reagiria? Tenho certeza que muitos ficariam de cabelo em pé ao escutarem tal pedido! E talvez diriam logo: "músicas do mundo? Que tal vocês cantarem louvores? Vocês devem fazer aquilo que edifica."
Meus caros, este tipo de atitude muito me irrita! A forma como muitas igrejas prendem seus músicos, limitando suas vocações. Isto sob a alegação de que o mundo é perigoso, de que podemos nos contaminar se assim o fizermos, ou pior, de que canções para o mundo não tem proveito algum, pois deveríamos estar gastando o nosso tempo com as coisas de Deus.
Estes argumentos são falácias que impedem a atuação da igreja no mundo. De fato, o mundo é perigoso, entretanto esta objeção apenas aparece quando se trata de música. Se fosse assim, o cristão não poderia estudar, trabalhar, usar serviços médicos de não cristãos, etc. Não somos chamados apenas para serviços eclesiásticos, mas para sermos luz do mundo com as nossas vocações, inclusive aqueles que tem o chamado para a área musical. Como afirma Mateus 5.14-16 "Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder a cidade edificada sobre um monte; nem se acende uma candeia para colocá-la debaixo do alqueire, mas no velador, e alumia a todos os que se encontram na casa. Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus." Quando impedimos os músicos que desejam exercer o seu dom no meio secular, estamos contribuindo para que a igreja não seja luz do mundo. Quão belo seria se vários artistas cristãos produzissem canções que falassem das coisas da vida com a lente do Evangelho!
Quanto a idéia de que músicas seculares não nos edificam, isto também é uma grande mentira. O que não edifica são canções que expressam valores contrários à Palavra, sejam seculares ou gospel. Como dizer que uma canção que fale do ódio, mas nos mostre o amor, que fale da mentira, mas mostre a verdade, que fale dos fracassos, mas mostre a esperança, que fale da bela criação de Deus, que fale das coisas boas da vida, mesmo que não falem diretamente de Deus, que esta canção não nos edifica? A arte, o que inclui a música, faz parte do ser humano, e é normal que ela retrate sobre as várias facetas de nossa experiência. Quando reduzimos a arte apenas a um aspecto da vida, no caso o religioso, estamos empobrecendo não só a própria arte, mas também o próprio homem!
Deixo para vocês uma bela canção da Carol Gualberto, que nos fala sobre as coisas boas da vida.

Das coisas boas da vida (Carol Gualberto)

Sol na janela, pé descalço e uma canção
Que fale do que guardo aqui no coração
Das coisas boas da vida
Das minhas preferidas
De tudo que faz bem à emoção

Fim de tarde, brisa leve, um ipê em flor
Uma poesia prá um grande amor
Família reunida, dança com as amigas
Um sorriso, sei quem é meu Criador

De comer, mel, mostarda, manjericão
De sentir, o arrepio de uma paixão
De olhar, borboleta azul e o amor

Um bom livro, um banquinho e um violão
Ter amigos mais chegados que irmãos
Porta sempre aberta, se arrumar pra festa
Ter alguém pra dar a sua mão
Disso é feita a vida
De coisas bonitas
De tudo que faz bem ao coração

Nenhum comentário:

Postar um comentário