quinta-feira, 28 de junho de 2012

MUNDANISMO NA IGREJA: OS CRENTES DE VIDA FÁCIL


Por André Storck

Depois da ditadura de mais de mil anos da Igreja Católica (que queimava hereges vivos), depois de duas guerras mundiais que mataram milhões de pessoas, depois de duas bombas atômicas e, principalmente, depois da ameaça de aniquilação nuclear na guerra fria toda a humanidade ficou traumatizada, com medo de alguém impor sua vontade à força de novo.

Uma das consequências desse trauma foi o surgimento de uma nova forma de pensar a vida: o relativismo. O relativismo é a principal marca do pós-modernismo e ensina o seguinte: não importa qual é a sua opinião, o que importa é que sejamos amigos.

A coisa funciona mais ou menos assim: se eu acredito em A e você acredita em B, nós precisamos esquecer nossas opiniões e sermos amigos sem tentar fazer com que o outro mude de ideia. Esse novo modo de pensar invadiu e destruiu as igrejas evangélicas nos EUA e, principalmente na Europa e finalmente chega com força no Brasil. Isso aconteceu porque o relativismo escancara as portas da igreja para o mundanismo e erradica a possibilidade de evangelização. Sabe como? Os relativistas dizem que:

Nós crentes não precisamos defender todas as verdades bíblicas, precisamos esquecer as diferenças e aceitar o outro. Basta crer em Jesus, não é necessário nem crer no que Ele disse. Não precisamos discutir doutrina e nem estudar essa coisa chata. O importante mesmo é sermos legais, simpáticos e amigos uns dos outros.”

Dessa forma, nasceram os que eu chamo de crentes de vida fácil, vida fácil porque não precisam mais defender todas as verdades das Escrituras, não precisam mais sequer estudá-las, não precisam dar o seu suor e sangue pelo Evangelho todo, basta crer em Jesus que já tá bom. Esse negócio de doutrina, reverência, estudo, salvação, escatologia, mandato cultural, grande comissão, isso tudo é secundário, está na Bíblia por engano, o Evangelho é simples e fácil: é só aceitar Jesus.

É por isso que hoje existem tantas igrejas que aceitam Jesus, mas também aceitam um montão de coisas como santos de madeira, buda, homossexualidade, drogas, sexo fora do casamento, teologia da prosperidade, sal grosso, folhinha de arruda, retiros para busca de experiências sobrenaturais e outras macumbas góspeis... O importante é ter Jesus no coração e sermos amigos uns dos outros, exploda-se a doutrina!

Com a chegada do relativismo e para evitar brigas e confusões a igreja passou a aceitar o que o mundo ensinava e o mundanismo entrou sorrindo pelo corredor do meio da igreja. O martírio virou peça de museu. Nossos músicos não produzem mais canções para a sociedade, nossos políticos não lutam mais pela educação e contra a corrupção, nossos ricos não ajudam mais os pobres e a Igreja não influencia mais a comunidade. Os que ainda se atrevem a defender verdades bíblicas e criticar as falsas doutrinas são fanáticos que precisam ser aniquilados.
  Crente vida fácil: vive para se alegrar e para alegrar os outros.

É fácil ser crente de vida fácil, basta sorrir o tempo todo, ser legal, ir em todas as festas de aniversários dos
irmãos, não disciplinar/corrigir os crentes mais influentes da igreja, nunca impor qualquer verdade, não corrigir nenhum irmão que fale algo em desacordo com a Bíblia e, principalmente, colocar o Evangelho na prática (apesar de não sabermos muito bem o que vai ser posto na prática, já que não sabemos nem o que é o Evangelho uma vez que doutrina não é importante), ou seja, coloque qualquer coisa na prática dentro da igreja.

Precisamos estar atentos à tentação de sermos crentes de vida fácil, na história do cristianismo aqueles que defenderam as verdades bíblicas nunca viveram na facilidade, ao contrário, foram perseguidos, açoitados, apedrejados, expulsos das igrejas (sinagogas), chamados de rebeldes e hereges. Cristo nos chama a sermos santos e a santidade inclui uma vida pautada em todas as esferas pela Palavra de Deus. Precisamos estudar, conhecer e prosseguir em conhecer ao Senhor. 

Amar a Deus e ao próximo passa pela conhecimento e exposição fiel da Verdade. Tal postura não nos impede de sermos gentis e agradáveis, mas isso nunca deve ocorre às custas do próprio Evangelho.

Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida.” Apocalipse 2.10


13 comentários:

  1. Querido irmão, creio que não havendo radicalismo em nada, as coisa de Deus ficam mais aceitavél

    ResponderExcluir
  2. Muito bom o seu texto resumiu bem como a igreja atual está vivendo, infelizmente. precisamos voltar nossos olhos para a escrituras sagradas. "reforma sempre reformando".
    Abraços
    Rev. Marcos Silva

    ResponderExcluir
  3. querido lauretti, perdoe-me se entendi mal, mas então devemos ser radicais em evitar o radicalismo ?

    ResponderExcluir
  4. Agradecemos o carinho Rev. Marcos! Deus nos ajude a permanecermos fiéis. Abraço

    ResponderExcluir
  5. "MUNDANISMO NA IGREJA: OS CRENTES DE VIDA FÁCIL"
    Excelente texto. Vale a pena ler e refletir. Antigamente, quando o cristão era atacado pelos de fora da Igreja, era pelo fato dele estar no caminho certo. Hoje mudou, se você é atacado pelo mundo e por pessoas da Igreja, é por que você esta no caminho certo, uma vez que o mundo entrou nas Igrejas. ='(

    EU ESTOU NO CAMINHO CERTO: sou atacada pelas pessoas do mundo e pelas pessoas da Igreja, por defender e viver, dentro do possível, de forma plena e na integra, a Palavra de Deus.

    ResponderExcluir
  6. Tony de São Vicente-sp

    Quando realmente aceitamos a Jesus como nosso senhor e salvador ha uma mudança em nosso ser , O que é da carne é carne e o que é espirito é espirito, quando há está mudança deixamos as coisas do mundo p/ trás, pq a palavra diz que a porta é estreita, e se ela é estreita não podemos passar com nossas bagagens Ex: ( coisas mundanas , bebedeira , palavrões, roupas indecentes,ETC, e até o modo de falar muda , isso se vc é realmente um convertido) ,então se vc vai passar por uma porta estreita vc não consegue entrar com vairias bolsas e mochilas e pacotes nas mãos, vc tem deixa-las e passar, isso é só um exemplo p/ um melhor entendimento.
    Não basta vc só dizer que aceitou a Jesus se não houve a mudança em seu ser, pq o espirito santo não habita em uma vida suja cheia de pacados, se quer realmente conhecer este DEUS maravilhoso tem que haver a mudança e deixar a vida antiga p/ trás e se entregar totalmente p/ ele, só assim vc vai sentir a pesença de DEUS em sua vida.
    Fiquem todo na Paz do Senhor

    ResponderExcluir
  7. realmente o evangelho e de renuncia deste mundo,se nao renunciarmos por um todo este mundo estamos em cima do muro,infelismente em varias igrejas hoje o que vale é venha como esta e fique como esta.

    ResponderExcluir
  8. Infelizmente o mal do relativismo invadiu a igreja. Os q pregam o evangelho com verdade são chamados de rebeldes e de organizadores de rebeliões. Estamos numa época de inversão de valores, onde é mais fácil aceitar o adultério, a mentira a ganancia q praticar a verdade bíblica. N se vê mais pregações a respeito do céu e inferno. O q importa hj é fazer parte de grupinhos. Irmãos pra q haja os remanescentes q n se contaminam com o relativismo. E q o q é autentico evangelho permaneca

    ResponderExcluir
  9. Eu acredito que nas Escolas Dominicais deveria-se sempre ensinar o que é o mundanismo e como ele entra na vida do crente, bem como combate-lo.
    Graça e Paz !!
    Ivan A Alves
    Diácono da Igraja Cristã Vida Plena - Guará II - Brasilia DF

    ResponderExcluir
  10. Muito bom o texto. Abro um parênteses apenas para a questão de "não disciplinar/corrigir os crentes mais influentes da igreja" - a disciplina deve ser para todos.

    ResponderExcluir
  11. Concordo plenamente! Me senti muito edificado depois de ler o texto. Pretendo lê-lo mais a fundo. A igreja precisa voltar à ortodoxia da época em que foi reformada. Não esqueçamos que a Psicologia enquanto disciplina e enquanto campo transdisciplinar do conhecimento, é se não o maior, mas o mais ferrenho dos inimigos do discurso doutrinário. Atenção senhores doutores do Cristianismo pós-moderno, fiquemos atentos a psicologização dos diálogos entre o mundo e a igreja, pois quem sai perdendo é a gente que somos guardiães da sã doutrina salvívica.

    ResponderExcluir
  12. Gostaria de saber de onde as pessoas tiram essa ideia de aceitar Jesus. Não é você que o aceita, é ele que te escolhe antes da fundação do mundo. Não é Ele que precisa de você ou do seu aceite,mas você que precisa de Sua graça e misericórdia.
    Por favor, não inventam os papeis.

    ResponderExcluir
  13. Bom texto! Mundo feio! Ora, vem Senhor Jesus!

    ResponderExcluir