quarta-feira, 21 de agosto de 2013

PARA PROFETAS

Por André Storck
Era uma vez, há muito tempo, o povo de Israel estava dividido.

Por causa dos pecados do rei Salomão, Deus resolveu que a descendência dele não reinaria mais sobre todo Israel. Assim, no reinado de Roboão, filho de Salomão, 10 das 12 tribos se revoltaram e se separaram, constituindo a Jeroboão como rei.

Israel então ficou dividido em dois diferentes reinos. O chamado Reino do Norte com as dez tribos rebeldes e o Reino do Sul ou Judá com as duas restantes.

Jeroboão, rei no Norte, se preocupou com o fato de os israelitas terem que ir até o Templo em Jerusalém, que ficava no Reino do Sul, para fazer sacrifícios. Jeroboão pensou consigo: “se este povo subir para prestar culto na Casa do Senhor em Jerusalém, o coração deles se tornará a ele, ao rei de Judá”.

Tomou então Jeroboão conselhos e decidiu fazer dois bezerros de ouro e disse ao povo: “Basta de subirdes a Jerusalém, veja aqui estão os seus deuses ó Israel, que te fizeram subir da terra do Egito” (I Reis 12). Colocou os bezerros, um na cidade de Betel, outro em Dã, ambas no Reino do Norte. Fez também Jeroboão santuários, nomeou novos sacerdotes e sacrificou no altar, queimando incenso aos novos deuses. Assim, o povo parou de ir a Jerusalém para cultuar.

Diante dessas coisas, por ordem do Senhor (I Reis 13) veio de Judá um homem de Deus que sequer tem o nome mencionado na Bíblia, um profeta anônimo, e encontrou com o rei Jeroboão que estava junto ao altar queimando incenso aos bezerros de ouro.

Então gritou o profeta e disse: “Altar, altar! Assim diz o Senhor: eis que um filho nascerá à casa de Davi, um rei do Sul virá e matará sobre ti esses falsos sacerdotes e ossos humanos se queimarão sobre ti. O altar se fenderá e se derramará a cinza que há sobre ele!”

O Rei ao ouvir o profeta gritando aquelas palavras estendeu a mão e disse: “Prendam ele!” Mas a mão que o rei apontou para o profeta secou imediatamente e ele não pôde movê-la mais. O altar rachou no meio e a cinza que estava em cima dele se derramou.

Queridos leitores, gostaria que todos refletissem um pouco sobre essa história bíblica e suas conseqüências e reflexos nos dias de hoje.

Muitos são os falsos pastores que edificam falsos altares e fazem falsos cultos a falsos deuses.. Talvez nunca em toda a história do cristianismo houve um período em que tanta heresia foi pregada para agradar o povo e levá-lo a adorar falsos deuses e a entregar seu dinheiro para impostores.

É comum encontrarmos igrejas que adotam vários bezerros de ouro para substituírem a Verdade do Evangelho, são exemplos: o bezerro de ouro da teoria da prosperidade e o bezerro de ouro do chamado “ louvorzão” que transforma o momento de adoração em um show com fortes emoções para atrair o povão.

Há ainda igrejas que acabam com os estudos bíblicos e doutrinários sérios para evitar discussões entre os irmãos e manter uma falsa comunhão, igrejas que adotam o ecumenismo esquecendo-se que só Jesus é o caminho, que usam métodos e metas empresariais e humanas para alcançar novos membros, que bajulam os ímpios para conseguir convencê-los a ir a igreja etc. Fazem de tudo, menos pregar o Evangelho puro e estudá-lo a fundo para praticá-lo corretamente em todas as áreas da vida.

Em muitas igrejas o próprio significado do que é um profeta foi mudado, e passou a significar alguém que prevê o futuro e expõe segredos e a intimidade dos irmãos. Tais revelações fogem daquilo que ensina as Escrituras. As “profetadas” feitas em nome de Deus por esses profetas de araque não se realizam e levam milhares de cristãos enganados a desacreditarem da fé e cair. 

Contudo, vejo que Deus tem abençoado a Igreja do nosso tempo levantando uma nova geração de verdadeiros profetas que, do mesmo modo como os profetas enviados por Deus no Antigo Testamento faziam ao apontar sem medo os enganos e maldades de dentro da própria Casa de Israel, hoje se levantam sem medo das mãos poderosas que se erguerão contra eles.

Profetas que não sucumbiram ao apelo pós-moderno de viver uma comunhão e paz superficiais ao altíssimo custo de sacrificar as verdades bíblicas e relegar ao segundo plano as doutrinas básicas da nossa fé.  Profetas que negam-se a considerar a “verdade” algo de menor importância.

Graças a Deus, observo uma explosão, potencializada pelas mídias sociais e pela publicação de farta literatura reformada, de pessoas que não abrem mão da pureza da fé e do Evangelho.
É verdade que esses profetas que Deus levanta para apontar os sérios desvios e ilusões que ocorrem dentro da igreja, sofrem com toda a sorte de insultos, maldades e difamações. Além de colherem a antipatia daqueles que preferem manter a aparente paz da ignorância ao alvoroço causado pela libertação de mentes pela Verdade.

Todavia, essa perseguição não deve ser motivo para desânimo, mas de alegria, sempre foi assim com os verdadeiros profetas de Deus, assim foi com Cristo, com Lutero, Calvino, Simonton e assim será com todo o crente verdadeiro até o Dia do Juízo.



É, por isso, que quero deixar uma mensagem de ânimo e esperança aos milhares de pequenos profetas anônimos que o Senhor tem levantado nos nossos dias para denunciar a prostituição, corrupção, apatia, idolatria e maldade que têm sorrateiramente contaminado parte da igreja evangélica brasileira, sob a conivência de falsos pastores e de pastores verdadeiros, mas omissos, e preguiçosos de estudar/expor a Bíblia e exercer a disciplina, sendo mais apegados aos prazeres da fama, sucesso, amizades e das riquezas do que com a propagação do verdadeiro Evangelho.

Não se escondam pequenos profetas do Senhor! Não deixem de gritar quando o Senhor lhes mostrarem algo contra o quê gritar, ainda que contra falsos mestres e ídolos dentro da própria igreja. Deus cobrará isso de vocês no dia do Juízo.

E, por fim, não se preocupem quando lhe apontarem o dedo, pois é Deus que te guarda e cuida de você.

"Bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça, pois deles é o Reino dos céus.
Bem-aventurados serão vocês quando, por minha causa os insultarem, perseguirem e levantarem todo tipo de calúnia contra vocês. Alegrem-se e regozijem-se, porque grande é a recompensa de vocês nos céus, pois da mesma forma perseguiram os profetas que viveram antes de vocês".

Nenhum comentário:

Postar um comentário