sábado, 28 de janeiro de 2017

CRIAÇÃO


Leonardo Marques Verona

BASE BÍBLICA: Gênesis 1-2


INTRODUÇÃO


Você já se perguntou de onde vieram todas as coisas? Já parou para pensar de onde vieram todas as estrelas do céu? E de onde veio a vida? Você alguma vez já pensou em qual é o sentido da vida e também da sua existência? Talvez você fuja de perguntas desse tipo, seja por serem muito profundas e difíceis de responder, seja por serem muitas vezes angustiantes, ou talvez até por medo de encarar a realidade. 

Muitos deixam de pensar nessas coisas, vivem a vida e usam de tudo que existe sem pensar muito sobre sua origem. Mas essas questões vez ou outra surgem em nossos pensamentos. Se não tivermos respostas claras para elas certamente isso nos levará a uma grande angústia e a não enxergamos sentido algum para as nossas vidas. Minha proposta é que respondamos sobre a origem e o sentido de todas as coisas por meio da Bíblia.


“NO PRINCÍPIO, CRIOU DEUS”


Ao abrirmos a Bíblia, no seu primeiro livro, Gênesis, vemos o seguinte versículo: “No princípio, criou Deus os céus e a terra.” O que podemos aprender com um versículo tão simples e pequeno? Será que podemos responder a alguma coisa sobre a origem de todas as coisas e também sobre quem as criou? Com certeza!

Em primeiro lugar, vemos a palavra “princípio”. Mas que princípio é esse? É o começo do nosso planeta, do nosso sistema solar ou de todo o Universo? Pelo próprio versículo entendemos que nesse “princípio” aconteceu a criação de todo o Universo, quando diz que Deus criou os “céus e a terra”. A Bíblia confirma isso em várias passagens, como no Salmo 33: “Mediante a palavra do SENHOR foram feitos os céus, e os corpos celestes, pelo sopro de sua boca [...] Pois ele falou, e tudo se fez; ele ordenou, e tudo surgiu” (Salmo 33:6;9). Então, podemos dizer que todas as coisas foram criadas por Deus.

Em segundo lugar, nesse primeiro versículo vemos que a Bíblia já parte da ideia de que Deus existe e não se preocupa em provar sua existência. Essa deve ser também a nossa forma de pensar. Toda a criação, o tamanho do Universo, o número incontável de estrelas (que são muito maiores que a Terra), sua organização, a beleza desse Universo e a nossa própria vida mostram claramente que existe um Deus todo-poderoso.

Podemos ver, ainda nesse primeiro versículo, que Deus existe antes da criação do Universo e até mesmo do próprio tempo, já que tudo foi criado por Ele. Então, podemos dizer que Deus sempre existiu, Ele não tem começo e nem fim. Podemos falar ainda que Deus não é o Universo, ou qualquer outra coisa dentro da criação, já que Ele existia antes de tudo e tudo foi criado por Ele, o que nos mostra como Deus é grande e poderoso.


DEUS PAI, DEUS FILHO E DEUS ESPÍRITO SANTO


Ao continuarmos a ler o capítulo 1 de Gênesis, vemos o Espírito de Deus participando e dando vida à criação, pois “o Espírito de Deus pairava por sobre as águas.” (Gênesis 1:2), enquanto Deus criava e organizava tudo por meio de Sua Palavra. Podemos entender mais sobre essa “palavra”, que também podemos traduzir como “verbo” como em João 1: “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez.” (João 1.1-3). Então, quem é essa Palavra ou Verbo, por meio da qual todas as coisas foram feitas? A resposta é Jesus Cristo, que é a pessoa de quem João está falando no seu livro.

Vemos, então, em Gênesis 1, a Santíssima Trindade criando conjuntamente todas as coisas: Deus Pai, por meio de Sua Palavra; Jesus Cristo, Deus Filho; e a ação do Deus Espírito Santo trazendo vida à criação. Com isso, vemos que Deus não precisava criar o Universo, já que Ele é completo em si mesmo. Mas, pela Sua graça e amor, Deus decidiu livremente criar o Universo para a sua própria glória. O sentido da criação e da vida está em glorificar a Deus: “Os céus declaram a glória de Deus; o firmamento proclama a obra das suas mãos” (Salmo 19:1-2).


A ORGANIZAÇÃO DA CRIAÇÃO


A partir do versículo 3 de Gênesis 1 vemos Deus dando forma e organizando a sua criação por meio de sua Palavra. Nos seis dias da criação, Deus cria a luz e a separa das trevas, separa também as águas que ficariam embaixo e as águas que ficariam nos céus, fez as águas se ajuntarem para aparecerem lugares secos, fez brotar na terra todo tipo de plantas, estabeleceu o dia, a noite e as estações do ano, encheu as águas de seres vivos, bem como a terra de todas as espécies de seres vivos e os ordenou que multiplicassem. Deus também criou o homem, à Sua imagem e semelhança, dando a ele o domínio sobre os animais, e também o ordenou que se multiplicasse.

Vemos que Deus criou e organizou cada coisa da criação para funcionar de acordo com a Sua vontade. Deus estabeleceu leis que dirigem tudo o que existe. Essas leis estão em toda parte de nossa vida, e sem elas nem vida nem Universo existiriam. Deus criou essas leis e a tudo sustenta, de forma que se Ele tirar a sua mão da criação nada poderá continuar existindo.


A CRIAÇÃO DO HOMEM


Aprendemos que Deus criou todas as coisas e vimos também que Ele criou o homem. Mas, ao compararmos a criação do homem com a dos outros animais, percebemos algumas diferenças.

Em primeiro lugar, o versículo 16 de Gênesis 1 nos diz que o homem e a mulher foram criados à imagem e semelhança de Deus. O que isso quer dizer? Em resumo, significa que somos mais parecidos com Deus do que com qualquer outra criatura, mesmo Deus sendo infinitamente maior que o homem. No texto de Gênesis 1 vemos um Deus que é criativo, organizado, racional, gracioso e bondoso e que exerce domínio sobre sua criação. 

O homem também reflete essas características de Deus, além de outras que são mencionadas na Bíblia, como a justiça, a espiritualidade, a capacidade de se relacionar, o amor e a santidade (antes da queda). Por isso, podemos dizer que Deus dá um destaque ao homem em relação ao restante da criação.

Em segundo lugar, em Gênesis 2, vemos Deus criando e formando o homem diretamente do pó da terra. Além disso, o próprio Deus soprou o fôlego de vida, criando assim a “parte” espiritual do homem. A Bíblia não revela exatamente como foi esse processo, mas esse fato nos mostra a importância e a atenção que Deus deu ao homem. De forma semelhante, Deus tirou uma das costelas do homem, formou diretamente dela a mulher e instituiu a família dizendo que o homem deve deixar pai e mãe e se unir à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne (Gênesis 2:24).


“VIU DEUS QUE ERA TUDO MUITO BOM”


Ao final do capítulo 1 de Gênesis nos é dito que Deus viu tudo o que tinha feito e viu que tudo era muito bom. A criação de Deus é boa, e por isso nós podemos e devemos usar com alegria, gratidão e responsabilidade tudo o que Deus criou. 

Diferentemente de algumas religiões que dizem que o mal precisa existir junto com bem para haja um equilíbrio, a Bíblia nos mostra que o mal que existe hoje é algo anormal e que não fazia parte da boa criação de Deus.


APLICAÇÃO


Você já se perguntou de onde vieram todas as coisas? Já parou para pensar de onde vieram todas as estrelas do céu? E de onde veio a vida? Você alguma vez já pensou em qual é o sentido da vida e também da sua existência? 
Agora você pode responder a essas perguntas. Deus criou todas as coisas, todas as estrelas do céu, bem como todo esse imenso universo e a própria vida, o que nos mostra que Ele é todo-poderoso. 
Se Deus é o criador e a origem de tudo, o único sentido da vida e da nossa existência só pode estar no próprio Deus. 
O sentido da vida é glorificar a Deus. Por isso, seja grato a Deus por sua vida e por tudo que Ele criou.

Um comentário:

  1. Bom texto/artigo. Rápido e sucinto. Senti falta apenas de um maior aprofundamento na questão da externalidade de Deus em relação ao tempo-espaço, mas pela proposta da série é compreensível.

    ResponderExcluir