sexta-feira, 2 de junho de 2017

FÉ E ARREPENDIMENTO




Gustavo Motta Quintão / Ocilson Daniel Xavier 



BASE BÍBLICA: 2 Coríntios 5:17


INTRODUÇÃO


“Testifiquei, tanto a judeus como a gregos, que eles precisam converter-se a Deus com arrependimento e fé em nosso Senhor Jesus.” Atos 20:21.

A conversão é um sinal visível de que o homem verdadeiramente recebeu a salvação. Assim como acontece no trânsito, a conversão é a mudança de sua rota, na qual o crente ia para os caminhos que levam a morte (Provérbios 14-12), e agora vai para o Caminho que lhe trará vida – Jesus Cristo (João 14:6).

Mas quais, então, são os sinais de uma conversão verdadeira? Vemos que a mudança de vida acontece quando o eleito encontra a salvação em Cristo, tendo fé na obra redentora de Jesus, confiando completamente a vida a ele e entendendo que o caminho no qual ele andava o levava à perdição, e que é preciso mudar radicalmente de postura. Isso quer dizer que os elementos marcantes da conversão são a fé a o arrependimento.


A FÉ QUE SALVA


O autor da carta aos Hebreus fala que a fé “é a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos” (Hebreus 11:1). A fé pode ser entendida como plena certeza, confiança em algo ou em alguém. 

Como podemos ser salvos mediante a fé? Tendo a certeza de que Cristo, Filho de Deus e também Deus, veio a Terra para salvar os pecadores do Inferno, morrendo em nosso lugar, levando sobre si os nossos pecados e ressuscitando ao terceiro dia. Fé não é simplesmente acreditar, é confiar de coração que tudo isso ocorreu.

Jesus Cristo é completamente capaz de mudar nossos corações para entendermos isso, mas, para que continuemos firmes na fé, ou seja, para continuarmos confiando, devemos fazer a mesma coisa que fazemos com as pessoas em quem confiamos: nós devemos conhecer melhor. Nós só conseguimos conhecer melhor a Cristo de duas maneiras: por meio da leitura da palavra, pois é na Bíblia onde encontramos sobre quem é Deus, o que Ele fez e faz por nós, e o que Ele quer de nós, e por meio da oração, que é uma conversa com Deus, falando sobre nossos anseios, medos, desejos, e uma demonstração de que entendemos que, sem Ele, nada podemos fazer.


ARREPENDIMENTO QUE MUDA


O arrependimento não é remorso, não é a tristeza causada pelas consequências que vêm após pecarmos. O remorso produz a morte, mas o arrependimento segundo Deus, traz salvação (2 Coríntios 7:10). Arrepender-se é mais que se entristecer pelo pecar: é ter repúdio ao pecado, é começar uma mudança de postura diante das situações, mudança causada por Deus em nós, por meio do Espírito Santo. 

Existem três áreas em nossas vidas que são transformadas quando nos arrependemos verdadeiramente:
  • Nosso intelecto – é a mudança de mente (metanoia), referente ao pecado que nós cometemos, reconhecendo que o pecado é abominável e que não temos capacidade para mudar por nós mesmos. 
  • Nossas emoções – é a mudança verdadeira no coração, na qual o pecador se entristece e passa a odiar o pecado, assim como também passa a ter necessidade do perdão de Deus, pois foi para isso que Cristo nos libertou.
  • Nossa vontade – o crente deve mudar a vontade em pecar, submetendo-se à vontade divina e aos caminhos em que Cristo deseja que andemos.
Uma das formas de demonstrarmos que estamos arrependidos é pedindo o perdão a Deus, confessando os pecados com os irmãos para que eles possam nos ajudar. Devemos, assim, procurar sempre a maneira de nos afastarmos daquilo que nos faz pecar e sempre pedir forças a Deus, para lutar contra aquilo que não o agrada.

APLICAÇÃO


Jesus, após curar as pessoas em seu ministério na Terra, sempre dizia: “vá, e não peques mais”. É isso o que ele deseja do crente convertido! Devemos entender também que a mudança de mente, sentimento e vontade com relação às coisas pecaminosas é fruto de um arrependimento verdadeiro, que é obra de Deus em nossas vidas, assim como a fé, que é dom gratuito de Deus, a fim de que nós acreditemos em Cristo verdadeiramente e naquilo que Ele fez por nós. O conjunto de fé e arrependimento é a demonstração de uma verdadeira conversão.